Escolha uma Página

A vida é movimento! Até quando acreditamos estar parados em descanso o cérebro monitora e comanda todas as funções do corpo; os músculos do tórax se mobilizam para que o ar entre e saia dos pulmões; o coração bate no seu ritmo bombeando o sangue; os rins filtram litros de sangue ininterruptamente; os intestinos se contorcem suavemente absorvendo nutrientes e excretando excedentes; dentro de cada célula um balé continuo de substâncias desfilam de um lado para outro e as fibras musculares mantém um movimento sincronizado imperceptível e constante para nos aquecer.

Em todo o corpo o movimento é onipresente enquanto há vida e para nossa saúde ele é sinônimo de flexibilidade, de pulsação e de vibração. O mecanismo da vida do corpo é feito para funcionar de acordo com um certo padrão e é mantido por um movimento rítmico constante. O centro desta corrente perpétua de vida é a respiração. Ao contrário, as degenerações são provocadas por falta ou insuficiência de circulação e as doenças podem ter causas variadas, mas no final a consequência comum a todas elas é a perturbação do movimento próprio do órgão ou tecido afetado. Remediar os sintomas com medicamentos ou soluções paliativas pode proporcionar alívio na hora que são usados, mas nem sempre resolvem a causa da doença, além de apresentarem efeitos colaterais. Normalmente, por trás de qualquer doença há algum estilo de vida irregular, não natural, com excesso de pressa, alimentação de baixa qualidade e pouco exercício físico.

Paradoxalmente, todos reclamam da vida corrida dos dias atuais, mas esse estilo de vida apressado quase sempre implica em um certo imobilismo. Permanecemos sentados por muito tempo, com os pescoços e olhos tensos fixados nas telas de computadores e celulares e não temos tempo de mover o corpo como ele merece e necessita. Ou então, resolvemos nos exercitar a qualquer custo e partimos para correr nos parques ou malhar nas academias de forma precipitada e esporádica, sem o devido preparo. Não nos preocupamos em observar nossos corpos para ver como adaptar o esporte escolhido às nossas características individuais e fazê-lo de forma progressiva, lúdica e responsável.

Calma, vamos agora parar com essas constatações nada atraentes e pensar na solução. Essa solução é muito mais simples que possa parecer, trata-se de procurar agir com consciência, o que implica em se informar, se perceber e agir com discernimento. Bonito de dizer, mas o que significa isso na prática: para começar devemos nos observar e perceber nosso corpo em todos os movimentos: na hora do descanso e do despertar, na postura que adotamos no trabalho, ao dirigir, na nossa de forma de caminhar em todas as direções, nas sensações proporcionadas por uma refeição e nas emoções diversas que experienciamos no nosso universo pessoal.

Em suma: começar por se observar atentivamente sempre que possível. Vou adiantar que rapidamente você vai se dar conta que age grande parte do tempo por automatismos, de forma “inconsciente”, sem prestar atenção aos seus atos e reagindo aleatoriamente aos impulsos constantes do ambiente. Então, o convite é prestar atenção a forma como respira, como anda, como se senta no sofá, como responde aos diferentes estímulos em casa e no trabalho. Concomitantemente, consumir alimentos saudáveis, apaziguar a mente com práticas meditativas, procurar manter uma atitude otimista nas situações complexas e sobretudo, dar ao corpo a quantidade de movimento que ele precisa – seja através da prática de um esporte, em uma academia, uma piscina, uma sala de dança ou simplesmente caminhando na rua. Resumindo: estar aqui e agora, simples assim.

Aliar esse olhar de observador com atitudes conscientes é um primeiro passo para grandes transformações que, com certeza, irão alterar seu cotidiano e seu humor para melhor.

O nosso propósito no Reabilitação Consciente é justamente ampliar esse questionamento sobre como estamos cuidando dos nossos corpos e das nossas vidas, é colocar mais consciência no cotidiano de cada um que nos procura e no nosso também, porque esse caminho de aprendizado e autoconhecimento perdura enquanto vivermos e nos enriquece a cada dia.